quinta-feira, 26 de março de 2015

Eva Wilma na Tupi

 Eva Wilma com Irene Ravache e autora de novelas Yvani Ribeiro(anos 70)

 Cenas de Vivinha na novela A Barba Azul-1974

 (abaixo)Nos bastidores da Tupi ao lado de vários talentos da casa (Beth Mendes,Cleyde Yaconis,Maria Estela,Nathalia Timberg entre outros

 

 


 gravações da novela"O Julgamento"1976/1977-trama das 8 da Tupi

Capa do tempo do "Alô Dôçura" anos  50 e 60(o programa ficou 10 anos no ar)


(Eva Wilma e Cleyde Yaconis em O Julgamento-tv Tupi 1976)A revolta dos anjosSilvia, Raul e NormaEstela, Raul e SilviaRaul e JandiraZezé e JandiraRaul, Padre Rosendo e Jandira Ela sempre foi a atriz mais querida da Tv Tupi,tudo começou com o seriado "Alô Doçura"ainda nos anos 50,depois foram as novelas anos 60 e 70 ,ela acabou virando a Rainha Absoluta das Novelas da Tupi,novelas como:Meu Pé de Laranja Lima,Nossa filha Gabriela,Camomila Bem me Quer,A Revolta dos anjos,Mulheres de Areia,A Barba Azul,A Viagem,O Julgamento,O Direito de Nascer,Roda de Fogo,etc..Eva Wilma Riefle (São Paulo, 14 de dezembro de 1933) é uma consagrada atriz brasileira.Iniciou sua carreia como bailarina clássica aos 14 anos. Passou a dar aulas de balé com uma amiga nessa idade e ganhou aulas de patinação no gelo e foi contratada pela empresa para participar do Holliday On Ice, um dos maiores festivais de patinação no gelo do mundo, mas foi proibida por seus pais e entrou em uma forte depressão por meses, já que um dos seus sonhos era seguir carreira artística além do balé. Sendo bailarina, logo passou a fazer parte do São Paulo Ballet, de Maria Oleneva. Em 1953 apresentou-se no Teatro Municipal de São Paulo, apesar de a primeira vez que se apresentou nesse teatro tinha 9 anos. Em 1953 sua apresentação foi juntamente com o corpo de balé do IV Centenário de São Paulo. No 3º mês de apresentação com o corpo de balé começou a aparecer chances para atuar como atriz. O produtor e diretor do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), José Renato, chamou-a para formar a primeira turma de teatro de arena, onde atuou com grandes astros e estrelas na época nos espetáculos, Judas em Sábado de Aleluia, Uma Mulher e Três Palhaços, depois, teve grande repercussão ao fazer trabalhos como Boeing-Boeing, O Santo Inquérito, A Megera Domada e Black-Out, peça produzida e dirigida por John Herbert. Fez Um Bonde Chamado Desejo, Pulzt, Esperando Godot, dirigiu Os Rapazes da Banda, depois participou de Quando o Coração Floresce, Queridinha Mamãe, pela qual recebeu o Molière de Melhor Atriz e O Manifesto. Em 1952, o diretor italiano Luciano Salce convidou-a para fazer um participação como figurante no filme Uma Pulga na Balança na Companhia Cinematográfica Vera Cruz, simultaneamente, participou do documentário do IV Centenário de São Paulo Se a Cidade Cantasse do diretor Tito Banini. Protagonizou dois filmes ao lado de Procópio Ferreira: O Homem dos Papagaios e A Sogra, ambos do diretor Armando Couto, e o drama de José Carlos Burle, O Craque. Foi a estrela da cinebiografia do cantor Francisco Alves:Chico Viola Não Morreu, de Roman Vanoly Barreto, em co-produção com a Atlântida e Sonefilme da Argentina. Volta a trabalhar com José Carlos Burle em uma comédia, O Cantor e o Milionário. Atuou no policial Cidade Ameaçada de Roberto Faria, na aventura A Ilha de Walter Hugo Khouri e no suspense O Quinto Poder de Alberto Pieralisi. Começa a trabalhar em coproduções estrangeiras,A Moça do Quarto 13 do americano Richard Cunha, simultaneamente, trabalha em filmes sob os olhos do alemão Horst Hachler como Noites Quentes em Copacabana e Convite ao Pecado. Premiada no Brasil e exterior, Eva Wilma, participa do filme São Paulo S/A do diretor Luiz Sérgio Person, onde interpreta Luciana, a jovem esposa ambiciosa de um alto funcionário da indústria paulista em busca de ascensão social. Depois, ela participa de comédias como A Arte de Viver Bem, episódio 1: A Inconveniência de Ser esposa, baseada na peça homônima de Silveira Sampaio, sob direção de Fernando de Barros, da co-produção Brasil-México,Juegos Peligrosos, episódio 2: Divertimento do diretor mexicano Luiz Algoriza e Cada Um Dá O Que Tem, episódio 2: Cartão de Crédito, sob direção de John Herbert. De Ricardo Bandeira faz uma pequena participação no filme religioso O Menino Arco-Íris (A Vida de Jesus Cristo). Representa a abnegada mãe de um jogador de futebol em Asa Branca, um sonho brasileiro do diretor Djalma Limongi Batista, e o Feliz Ano Velho de Roberto Gervitz. Na televisão Eva Wilma estreou em 1953, quando Cassiano Gabus Mendes convidou-a para atuar no seriado Namorados de São Paulo, ao lado de Mário Sérgio. Posteriormente, Gabus Mendes mudou o título da série para Alô, Doçura, e esta foi protagonizada por Eva Wilma e John Herbert durante dez anos. O seriado entrou para o Guiness Book como o mais longo do país e, Eva Wilma, recebeu o Troféu Imprensa 1964 como Destaque do ano. John Herbert e Eva Wilma formaram o principal casal da televisão brasileira dos anos 50 e 60; depois do sucesso em Alô Doçura eles trabalharam na Record, protagonizando duas novelas: Comédia Carioca e Prisioneiro de um Sonho, de Roberto Faria. O casal retornou à TV Tupi e fez trabalhos importantes como A de Amor e Confissões de Penélope; Eva Wilma comoveu os telespectadores como a meiga Ana Maria de Ana Maria Meu Amor, fez Fatalidade e a vilã Jane de Angústia de Amar, novela baseada no filme O Que Aconteceu a Baby Jane?. Recebeu reconhecimento internacional ao trabalhar em O Amor Tem Cara de Mulher, de Cassiano Gabus Mentes, e recebeu o Troféu Imprensa de atriz revelação em 1966. Também atuou em Nenhum Homem é Deus, de Lauro César Muniz. Nos década de 1970 tornou-sem ao lado de Carlos Zara um dois principais pares românticos da televisão brasileira; juntos trabalharam em novelas de grande sucesso, teleteatros e especiais. Zara foi o diretor de teledramaturgia da TV Tupi até 1977. Atuou em novelas importantes como Meu Pé de Laranja Lima, na qual interpretou uma mulher amarga, Jandira, e a sonhadora Gabriela em Nossa Filha Gabriela, ambas de Ivani Ribeiro. Em A Revolta dos Anjos, da psicóloga Carmem Silva, interpretou a prudente Silvia. Em 1973, Eva Wilma interpretou as gêmeas Ruth e Raquel, de Mulhres de Areia, novela de Ivani Ribeiro e sucesso nacional e internacional. Trabalhou em duas novelas de sucesso da Ivani Ribeiro, A Barba Azul e A Viagem e, depois, participou de duas novelas de Sérgio Jockymann, O Julgamento e Roda de Fogo. Fez o remake de O Direito de Nascer e chegou a participar das gravações da novela Maria de Nazaré, que por problemas internos da emissora paulista nunca chegou a ser levada ao ar. Com o fim da TV Tupi em 1980, Eva Wilma foi contratada definitivamente pela Rede Globo, onde exerceu seu lado humorístico nas novelas Plumas e Paetês e Elas por Elas, fez a esquizofrênica Laura de Ciranda de Pedra, a autoritária Francisca Moura Imperial de Transas e Caretas; depois vieram a engraçada Angelina de De Quina pra Lua, a ex-militante política Maura, que sofreu os horrores da ditadura militar, em Roda de Fogo, o sucesso Sassaricando e muitas outras novelas marcantes, como Pedra sobre Pedra, Pátria Minha e A Indomada, na qual interpretou a cômica vilã Maria Altiva Pedreira Mendonça de Albuquerque. Atuou em História de Amor, em que o autor Manoel Carlos criou um personagem só para ela, e fez também grandes produções como O Rei do Gado, Esperança, Começar de Novo e Desejo Proibido. Também participou de séries de televisão, como Mulher, O Quinto dos Infernos, Os Maias, Um Só Coração, JK, Norma e Na Forma da Lei. Seu último trabalho foi na novela Fina Estampa-Globo, como a trambiqueira Tia Íris.

2 comentários:

  1. A atriz Eva Wilma é um ser humano maravilhoso, atriz extraordinária! Eu acompanho a carreira da grandiosa atriz desde O Meu Pé De Laranja Lima e sinto que ela pode ser considerada uma atriz que sabe dar vidas aos seus personagens sem permanecer na mesmice, por exemplo, suas vilãs não são idênticas como suas heroínas, Ela não preocupa-se em ser protagonista, co-protagonista, coadjuvante ou figurante, ela é uma atriz que faz jus ao talento por saber ser uma atriz completa em todos aspectos da arte em vida, ela é o máximo!

    ResponderExcluir
  2. Eva Wilma é dona de rico um currículo de causa inveja a qualquer atriz,pois as personagens que ela já interpretou nas novelas desde a sua primeira novela que foi Prisioneiro de um sonho,passando por O Amor Tem Cara de Mulher, Meu Pé de Laranja Lima, Mulheres de Areias,A Barba Azul,A Viagem,O Julgamento,Ciranda de Pedra,Elas por Elas.Roda de Fogo,O Rei do Gado,a inesquecível A Indomada,até,mas ressente Fina Estampa ela deu um verdadeiro show de interpretarão,ou seja foi nota dezzzzzzzzzzzzz

    ResponderExcluir